Praça e Terminal Pitias Peixoto

Crato (CE)

+

Projeto básico em desenvolvimento

1º colocado no Concurso Público de Projeto de Arquitetura, Urbanismo e Paisagismo realizado pela Prefeitura Municipal do Crato (CE)

Praça Pitias Peixoto: a mobilidade como agente requalicador.

As cidades pequenas e médias têm se apresentado, ao longo dos últimos anos, como centros de crescimento em potencial. A Região Metropolitana do Cariri e, principalmente, o triângulo CRAJUBAR formam um importante centro econômico para todo o Estado do Ceará, sendo o município de Crato um pólo gerador de empregos, com destaque para a indústria de calçados. Além disso, apresenta grande efervescência cultural e o encanto de um território que, embora seja grande em territorialidade, apresenta um centro urbano com escala humana. A proposta visa valorizar os elementos que tornem a experiência dos cidadãos cratenses na cidade mais agradável, principalmente no que diz respeito à mobilidade, valorizando o transporte ativo, a acessibilidade universal, o desenvolvimento sustentável e o respeito às pessoas que já usufruem da Praça Pitias Peixoto e entorno.

O estudo preliminar de requalificação do Ponto de Apoio ao Transporte Rodoviário Municipal foca em aspectos como a regionalidade, através da utilização de materiais caririenses e de fácil acesso, a permeabilidade, propondo um espaço interligado, a paisagem, melhorando seu aspecto e pensando em alternativas funcionais, além da identidade, priorizando os cidadãos locais e sua relação com o espaço.

O projeto foi desenvolvido inspirando-se também no trabalho do artista cratense Sérvulo Esmeraldo, falecido em 2017. Suas esculturas, gravuras, ilustrações, pinturas e grafismos apresentam a simplicidade geométrica que aplicamos no traçado e em elementos como a cobertura e os mobiliários. Além disso, seus experimentos no campo da cinética, trabalhando com imantação e movimento, casam com o desejo de um espaço que consiga atrair as pessoas e gerar movimentos diversos, contribuindo para a construção de um território democrático.

DIRETRIZES

Mobilidade familiar: priorização do transporte ativo em detrimento do transporte motorizado, em consonância com a Política Nacional de Mobilidade Urbana. Promoção de acessibilidade, segurança e conforto, além da valorização de sistemas de mobilidade que levem em consideração os deslocamentos de crianças e seus cuidadores.

Espaços públicos e natureza: valorização dos elementos naturais para a (re)descoberta dos espaços públicos através de experiências sensoriais e melhora da apreensão da cidade. O contato com a natureza ajuda no desenvolvimento infantil e no bem-estar da comunidade.

Cogestão do espaço público: suporte para a participação comunitária no processo de tomada de decisões, avaliação, monitoramento e manutenção dos espaços, de modo a valorizar a questão identitária e aumentar o sentimento de pertencimento da comunidade local.

Utilização de serviços: apoio e incentivo à utilização dos serviços oferecidos, garantindo diversidade de públicos e usos. É importante ressaltar que quanto mais interesse temos nos espaços públicos e estimulamos sua ocupação, maior será a urbanidade e a segurança.

Valorização das preexistências: diagnosticar e pesquisar os usos e dinâmicas que se dão no espaço são fundamentais e ajudam a criar um apanhado de informações que contemplam características materiais e imateriais, além de aspectos culturais imprescindíveis ao projeto.

Sustentabilidade das ações: ações baseadas em um uso inteligente dos recursos, alinhadas também com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Procura-se valorizar as relações da escala humana, priorizando o contato que se estabelece dentro de um bairro e reverbera para a cidade, tecendo redes.

Conexão Sistêmica

A Praça Pitias Peixoto está localizada em um ponto estratégico pela proximidade do Centro, tendo a Prefeitura na sua frente e três importantes eixos de mobilidade a tangenciando. Ela conecta a cidade baixa com a cidade alta (Encosta do Seminário), o Centro com as periferias e zonas rurais sem ser necessário a passagem dos veículos pelas áreas com trânsito mais intensos. Então aproveitar esse potencial é premissa para ampliar a vitalidade. Assim foram inseridas travessias elevadas, além de piso tátil, que priorizam o pedestre no acesso às demandas cotidianas e de deslocamentos.

Expansão do Território Educativo

A presença de uma escola é elemento muito importante para transformar um lugar e ao mesmo tempo para ampliar o espaço de construção dos conhecimentos. A cidade é o grande espaço de aprendizagem e vivenciá-la é imprescindível na formação de todo cidadão. Então propomos a expansão do Território Educativo para além dos muros da escola Prof.a Edilma Fernandes G. Rodrigues "Circulo Operário", se fundindo com os usos da praça e do terminal de transportes.

Ampliação da Praça

A Praça Pitias Peixoto encontra-se ilhada no tráfego intenso de veículos, reduzindo tanto a atração para o uso mais per- manente e com qualidade da praça, como também dificultando o transporte público em suas atividades. Visando a melhoria da condição desse espaço propomos o redesenho urbano dos limites da praça integrando tanto com as casas presentes na Rua Sagrada Família quanto com a escola pre- sente na Rua Bárbara Alencar. Para os dois casos adotamos a ampliação das calçadas e o compartilhamento das ruas.

Ressignificação do Canal

O canal se configura como uma grande barreira na paisagem do Crato, dividindo-o. Em toda sua borda encontramos uma mureta baixa de concreto. A proposta tem como princípio entender esse elemento e buscar ressignificá-lo através da inserção de uma nova mureta na Praça Pitias Peixoto, elemento central que assim como a mureta do canal receberá novos usos através da instalação de mobiliários que possam ser fixados nela.

FICHA TÉCNICA

Arquitetes

André Moraes e Igor Miranda

Colaboradores

Thaliny Candida e Tiago Vieira

Fotografias aéreas (drone)

Felipe Moreira

Cliente

Prefeitura Municipal do Crato